Thalita Tázila Thiciane Macedo Itarlyson Morais Inicio

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Behaviorismo - Exercício de Fixação

01- Para os behavioristas qual o objeto de estudo da Psicologia e como é caracterizado?

Para os behavioristas a psicologia é um objeto observável, mensurável, que podia ser reproduzido em diferentes condições e em diferentes sujeitos. Essas características eram importantes para que a Psicologia alcançasse o status de ciência, rompendo definitivamente com sua tradição filosófica. Portanto, o Behaviorismo dedicou-se ao estudo do comportamento na relação que este mantém com o meio ambiente onde ocorre.

02- Qual ou quais as diferenças entre Behaviorismo Metodológico e Behaviorismo Radical?

O Behaviorismo Metodológico (Watson) fundamenta-se em dois conceitos o de estímulo e o de resposta, onde, essas são as unidades básicas da descrição e o ponto de partida para uma ciência do comportamento. O homem começa a ser estudado como produto do processo de aprendizagem pelo qual passa desde a infância, ou seja, como produto das associações estabelecida durante sua vida entre estímulos (do meio) e respostas (manifestações comportamentais).

Já o Behaviorismo Radical (Skinner) é baseado na formulação do condicionamento operante que é um mecanismo que premia uma determinada resposta de um indivíduo até ele ficar condicionado a associar a necessidade à ação.

03- Explique o condicionamento respondente

O comportamento reflexo é um comportamento involuntário (reflexo) e inclui as respostas que são eliciadas ("produzidas") por modificações especiais de estímulos do ambiente. Por exemplo, a contração das pupilas quando uma luz forte incide sobre os olhos, a salivação quando uma gota de limão é colocada na ponta da nossa língua, o arrepio da pele quando um ar frio nos atinge, as famosas "lágrimas de cebola", etc.

04- Explique o condicionamento operante

O comportamento operante é o comportamento voluntário e abrange uma quantidade muito maior da atividade humana - desde os comportamentos do bebê de balbuciar, agarrar objetos, olhar os enfeites do berço, até os comportamentos mais sofisticados que o adulto apresenta. Como nos diz Keller (op. cit.), o comportamento operante "inclui todos os movimentos de um organismo dos quais se possa dizer que, em algum momento, têm um efeito sobre ou fazem algo ao mundo em redor. O comportamento operante opera sobre o mundo, por assim dizer, quer direta, quer indiretamente".

05- Diferencie:

- Reforçamento positivo e reforçamento negativo

O reforço positivo é aquele que, quando apresentado, atua para fortalecer o comportamento que o precede, ele oferece alguma coisa ao organismo.

O reforço negativo é aquele que fortalece a resposta que o remove, e permite a retirada de algo indesejável.

- Reforçamento negativo e punição

É preciso um certo cuidado para não confundir o reforçamento negativo com a punição. No caso do reforçamento negativo, um comportamento está sendo instalado para evitar um estímulo desagradável; no caso da punição, um determinado comportamento estará sendo eliminado através da emissão de um estímulo aversivo.

- Punição e extinção

Punição é uma maneira demorada de "eliminar" uma resposta. Quando se trata de eliminar um comportamento muito inadequado e que possa trazer perigo ao próprio organismo é preciso usar uma técnica mais eficiente. Sabendo que todo o organismo tende a fugir de estímulos aversivos, indesejáveis, é possível dosar a intensidade desses estímulos para, sem agredir o organismo, desestimulá-lo a continuar emitindo uma determinada resposta.

Extinção assim como podemos instalar comportamentos, podemos "descondicionar uma resposta".

- Fuga e esquiva

A fuga é quando o comportamento reforçado é aquele que termina com um estímulo aversivo já em andamento. A diferença é sutil. Se posso colocar as mãos nos ouvidos para não escutar o estouro de um rojão, este comportamento é de esquiva, pois estou evitando o segundo estímulo antes que ele aconteça. Mas se o rojão começa a pipocar e só então reajo, pode-se falar em fuga.

A esquiva é um processo no qual os estímulos aversivos condicionados e incondicionados estão separados por um intervalo de tempo, permitindo que o indivíduo execute um comportamento que previna a ocorrência ou reduza a magnitude do segundo. Como exemplo podemos falar da relação entre o motor do dentista e a antecipação da dor. Desviar o rosto é esquivar-se dela.

-Generalização e discriminação

Generalização este conceito completa a nossa compreensão de teoria do reforço como uma teoria de aprendizagem. Quando estamos treinados para emitir uma determinada resposta, em uma dada situação, poderemos emitir esta mesma resposta em situações onde percebemos uma semelhança entre os estímulos. Quando percebemos a semelhança entre estímulos e os aglutinamos em classes estamos usando a nossa capacidade de generalizar. Ou seja, uma capacidade de responder de forma semelhante a situações que percebemos como semelhantes.

Discriminação é a capacidade que temos de perceber diferenças entre estímulos e responder diretamente a cada um deles.

Nenhum comentário: